fbpx

Blog

No nosso blog, você vai encontrar artigos, análises, e vídeos sobre educação financeira

Mostrando itens por marcador: Educação Financeira

O processo de captação de dinheiro através de campanhas de Financiamento Coletivo (crowdfunding) consiste em disponibilizar informações sobre o seu projeto numa plataforma especializada (plataforma de crowdfunding), que nada mais é que um site da internet com ferramentas pagamento, visualização de vídeos e textos.

O projeto pode ser para uma empresa ou pessoal e os pagamentos acabam sendo feitos por pessoas conhecidas do empreendedor e outras totalmente  desconhecidas da sua rede de relacionamento.

Network é uma conhecida expressão que designa o nosso círculo de relações. Networking é o processo de cultivar essa rede, que segue alguns princípios específicos. Nos estudos sociológicos, a expressão que melhor define esse conceito é o termo ‘capital social’, descrita por Pierre Bourdieu. Para o autor, capital social é a relação que criamos com outras pessoas e, em algumas situações, com instituições.

Em uma campanha de crowdfunding as contribuições acontecem em ondas. O empreendedor ou idealizador do projeto interage, primeiramente, com seus amigos conhecidos mesmo que a divulgação da campanha seja feita por meio das redes sociais. As primeiras contribuições são de pessoas próximas do empreendedo, depois, em uma segunda onda é que começam as contribuições de amigos dos amigos do empreendedor e depois de pessoas desconhecidas.

Nesta parte em que pessoas desconhecidas começam a participar da campanha é que encontramos mais uma singularidade do crowdfunding: uma segunda rede de relacionamentos começa a se formar entre empreendedor e essas pessoas que até então eram desconhecidas.

O crowdfunding é uma ferramenta de captação de recursos financeiros única pois permite que o empreendedor receba muito mais do que dinheiro: recebe feedbacks; conhece pessoas interessadas em fazer o projeto se desenvolver e; acesso a potenciais consumidores. Portanto  o empreendedor deve levar esses pontos em consideração ao optar por desenvolver uma campanha de crowdfunding.

Publicado em Blog

Crowdfunding foi o tema de pesquisa do mestrado da sócia da LIVAX Alina Hassem. Crowdfunding é o tema recorrente nas redes sociais da LIVAX.

Nós, da LIVAX, temos uma atenção muito especial a esse tema pois acreditamos que muitos projetos e ideias continuarão saindo do papel através dessa forma de captação de recursos financeiros.

Mas hoje não vamos falar de finanças de uma forma técnica. Vamos contar uma história ... a história de como o financiamento coletivo possibilitou a construção do Pedestal da Estátua da Liberdade. Talvez, sem a cooperação financeira de muitas pessoas, a Estátua não estivesse na cidade de Nova York, mas vamos aos fatos.

A Estátua da Liberdade foi um presente diplomático da França para os Estados Unidos. O ano era 1885 e para que a Estátua fosse instalada era necessária a construção de um pedestal que foi avaliado em US$ 250 mil (US$ 6,3 milhões valor atualizado aos dias de hoje).

O dinheiro público disponível para esta obra não era suficiente e o Congresso não aprovou orçamento adicionau. Outras cidades americanas, como Boston e São Francisco, demonstraram interesse em ficar com a Estátua e custear a obra. Foi então que Joseph Pulitzer, o editor de um jornal de Nova York iniciou uma campanha chamando os Nova Iorquinos para contribuirem.

A campanha foi um sucesso, mais de 160 mil pessoas contribuiram - a maioria com menos de US$ 1 e em cinco meses o total arrecadado foi de, cerca de US$ 100 mil que foi complementado por outras fontes de financiamento.

A construção do Pedestal da Estátua da Liberdade não é o primeiro exemplo de financiamento coletivo da história, se pesquisarmos, encontraremos livros e obras que foram construídos graças a contribuição financeira de muitas pessoas, mas ainda assim, é um exemplo memorável por mostrar a força do financiamento coletivo.

Publicado em Blog
Segunda, 05 Outubro 2020 17:48

Quando Finanças Encontra a Psicologia

Finanças comportamentais é um campo de estudo relativamente novo. As teorias financeiras mais tradicionais consideram que todas as nossas escolhas são feitas de forma racional, após cuidadosa análise das alternativas, comparação entre opções, uso de cálculos sofisticados para decidirmos desde situações corriqueiras, até decisões complexas sobre morar de aluguel ou comprar um imóvel financiado, fazer as compras pagando a vista ou usar o parcelamento, quando disponível.

Mas será que somos homens e mulheres economicus ou somos meros homo sapiens

Homo sapiens tomam muitas decisões com base em experiências, expectativas, algumas com mais cautela, outras mais no automático.

O livro Nudge, escrito por Richard Thaler (Prêmio Nobel de Economia) e Cass Sustein, faz uma excelente análise sobre como os nudges podem ajudar as pessoas a tomarem decisões melhores.

Nudge é arquitetura de escolhas. A palavra tem o sentido "dar um empurrãozinho"  (seria esta uma tradução próxima deste termo para o português) e é uma ferramenta utilizada para organizar os contextos e para facilitar o processo de decisão das pessoas.

Exemplos de nudges

  • aplicação automática em contas de investimento no dia do recebimento do salário;
  • escolha automática de um plano de previdência, caso a pessoa não tenho feito dentro do prazo;
  • lembrete de gastos no cartão a cada compra feita

Mais uma questão final para pensarmos e que é tratada no livro.

Até que ponto usar nudges ou arquitetura de escolhas pode tirar a liberdade de escolha das pessoas?

Vocês tem interesse por conhecer mais sobre finanças comportamentais?

 

 

Publicado em Blog

 A pandemia trouxe consequências para diversos setores, mas, provavelmente, o setor de viagens e lazer foi um dos mais afetados.

A Azul, que é uma empresa de aviação, teve prejuízo de R$ 2,9 bilhões no segundo trimestre de 2020 contra R$ 351,6 milhões de lucro no mesmo período do ano anterior (2019).

No curso Abrindo e crescendo a minha empresa, que estaá disponível em breve no site da LIVAX, temos um módulo sobre análise de indicadores financeiros e vamos antecipar agora a explicação e análise de um desses indicadores utilizando o demonstrativo de resultados da Azul como exemplo.

Primeiro, vamos a definição de dois conceitos que utilizaremos para calcular o indicador

Ativo circulante: são os bens e direitos que a empresa consegue converter em caixa rapidamente. Exemplos: a própria conta caixa, apicações finaceiras, conta de clientes;

Passivo circulante: são as obrigações que vencem no curto prazo. Exemplos: empréstimos de curto prazo, fornecedores, salários a pagar

O índice de liquidez corrente demonstra se o que a empresa tem no ativo circulante é suficiente para cobrir as obrigações do passivo circulante.

A fórmula é a seguinte:

Ativo circulante ÷passivo circulante

vamos calcular esse indicador para a Azul?

Acessando o site da B3, buscar o campo empresas listadas e digitar o nome da empresa no campo de busca

Buscar o último relatório disponível, neste caso de 30/06/2020.

O relatório traz números comparativos: primeiro semestre de 2020 e primeiro semestre de 2019

Escolher o relatório Balanço Patrimonial Ativo e buscar o número do ativo circulante

R$ mil

1 sem 2020:  3.489.210

1 sem 2019:  4.138.731

Escolher o relatório Balanço Patrimonial Passivo e buscar o número do passivo circulante

R$ mil

1 sem 2020:  9.767.523

1 sem 2019: 6.862.020

O indice de liquidez da Azul é:

2020: 0,357

2019: 0,603

Como interpretar?

Em 2020, para cada 1 Real de dívida, a empresa tem R$ 0,357 de recursos no ativo circulante (caixa ou que pode ser convertido em caixa).

Em 2019, para cada 1 Real de dívida, a empresa tinha R$ 0,603 de recursos no ativo circulante.

É importante avaliar cada conta do ativo e passivo circulantes, ler o relatório da administração, assistir os vídeos em que eles explicam a situação financeira da empresa e as projeções futuras para os stakeholders para concluir quais as ações que estão sendo feitas para reverter essa situação, sobretudo para uma empresa de um setor que foi tão impactado pela pandemia.

Neste vídeo, o direitor financeiro da empresa comenta acerca das negociações da empresa com fornecedores.

https://ri.voeazul.com.br/

http://pvbps-sambavideos.akamaized.net/account/1069/1/2020-08-12/video/52d591e56d39de70037d190f4ffb6156/52d591e56d39de70037d190f4ffb6156_1080p.mp4

A ideia desta postagem não foi avaliar a empresa Azul, mas sim utilizar os seus relatórios financeiros para apresentar um conceito importante de finanças.

O material com os indicadores financeiros faz parte de um curso da LIVAX que em breve estará disponível, mas para quem tiver interesse em receber o PDF com os principais indicadores financeiros, as explicações e exemplos práticos, basta cadastrar o e-mail no link abaixo que nós enviaremos.

 

Publicado em Blog
Marcado sob

No artigo anterior escrevemos sobre a importância do mercado de capitais para as empresas. 

Ontem, dia 30 de setembro de 2020, a empresa Natura anunciou que fará uma oferta pública de ações com o objetivo de captar R$ 6,2 bilhões com a emissão de 121,4 milhões de novas ações, vamos aproveitar essa notícia para explicarmos alguns conceitos importante sobre o mercado de ações.

Mercado Primário

Emissões de novas ações que resultam em aumento de caixa para a empresa são feitas no mercado primário.

Mercado Secundário

As negociações entre investidores são feitas no mercado secundário. O mercado secundário é essencial para trazer liquidez aos investidores, que podem comprar e vender as ações.

Vamos falar de mais um ponto importante.

Após o anúncio da Natura, as ações da empresa começaram a cair, conforme podemos ver no gráfico abaixo.

Alguns fatores explicam a queda no valor das ações quando as empresas anunciam novas emissões de ações: 

  1. Os investidores se questionam porque a empresa precisa emitir novas ações para financiar seus investimentos; qual o projeto que será financiado com o capital e qual o retorno esperado por esse investimento

  2. O fato de ter mais ações no mercado, dilui a participação dos acionistas atuais, caso eles não adquiram novas ações;

  3. Essa diluição na paticipação, mantendo o valor total de dividendos igual, significa menos dividendo por ação 

Quando a empresa capta dinheiro ela tem a expectativa de investir em projetos de longo prazo que aumentem o seu lucro e a sua rentabilidade, por isso, as empresas divulgam qual o objetivo desta captação, cabendo aos investidores e ao mercado avaliarem esse contexto, por isso, que estamos falando de uma primeira reação que anúncios de novas emissões costumam gerar no preço das ações. 

Outro assunto importante que traremos na próxima publicação é sobre tag along que é uma forma de proteger os investidores minoritários em situações como essa.  

 

Publicado em Blog

O Initial Public Offering (IPO) é o termo utilizado para descrever o processo de abertura de capital de uma empresa.

Através da abertura de capital, a empresa pode negociar títulos mobiliários publicamente; esses títulos podem ser de dívida ou patrimonial.

Títulos de Dívida: ao adquirir um título de dívida, como uma debênture, o investidor terá o capital aportado devolvido com o acréscimo de juros em uma data futura;

Títulos Patrimoniais: ao adquirir um título patrimonial, como as ações, o investidor passa a ser um acionista da empresa e receberá dividendos. O ganho de capital acontece quando o investidor vende as suas ações a um preço superior ao preço de compra.

A empresa de capital aberto acessa mais investidores e de forma direta - sem as instituições financeiras como intermediárias na operação de crédito.

Quando a venda de títulos é feito da empresa para os investidores é chamada de oferta primária (mercado primário) e quando as negociações dos títulos são feitas entre investidores é chamada de oferta secundária (mercado secundário). 

No mercado primário é quando empresa realmente capta recursos financeiros dos investidores, mas é no mercado secundário que esses investidores conseguem negociar os seus títulos. 

Um mercado secundário desenvolvido é importante para garantir a liquidez dos títulos.

Até Setembro de 2020, foram 18 IPOs.

Publicado em Blog

Os relatórios financeiros sintetizam os números decorrentes da operação da empresa em determinado período e possuem diversos usuários, desde sócios, fornecedores, clientes, bancos e governo, pois através desses relatórios é possível verificar a saúde financeira daquela empresa.

Os 4 principais relatórios financeiros são:

  1. Balanço Patrimonial
  2. Demonstrativo de Resultados (DRE)
  3. Fluxo de Caixa
  4. Demonstração de Mutações do Patrimônio Líquido

O balanço patrimonial mostra a posição financeira da empresa em determinada data.

O ativo, de um lado, aponta os bens e direitos da empresa e de outro a justificativa de como esses bens e direitos foram financiados: se foi por capital de terceiro está representado no passivo e se for capital próprio dos sócios no patrimônio líquido.

Desta forma, temos:

Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido

O segundo relatório que queremos explicar é o Demonstrativo de Resultados (DRE) ou em inglês Profit and Loss (P&L), neste relatório, temos os resultados financeiros da empresa em determinado período. No DRE, as receitas e custos são reconhecidos pelo critério de competência, ou seja, não necessariamente há recebimento de caixa coincidentemente com a data do faturamento e é, justamente, por isso, que a importância de acompanhar o terceiro relatório financeiro que é o fluxo de caixa.

O fluxo de caixa é o relatório que demonstra as entradas e saídas de caixa da empresa em determinado período.

O último relatório que apresentaremos é o demonstrativo de mutações do patrimônio líquido, que aponta e justifica as variações nas contas de capital e lucros retidos.

As empresas que têm capital aberto com negociação na Bolsa de Valores enviam esses e outros relatórios para que investidores e outros interessados (stakeholders) possam consultar e analisar os números e indicadores, porém, sobretudo para os sócios, a análise desses relatórios é importante para todas as empresas, não só as de capital aberto, pois é através dessa análise que decisões podem ser tomadas.

Para os empreendedores, é importante começar o processo de desenvolvimento dos relatórios financeiros na fase do planejamento da empresa, pois é nesta etapa que eles discutem e avaliam quais serão os investimentos necessários para atingir o planejamento estratégico. Mesmo após o inicio da operação, é importante planejar, recorrentemente, receitas, despesas, fluxo de caixa e investimentos e comparar esse planejamento com o realizado.

A apuração dos resultados realizados fornece as informações do desempenho passado da empresas, contudo a comparação do planejamento com a apuração do realizado e o acompanhamento de indicadores fornecem aos empreendedores e empresários suporte para decisões futuras com o objetivo de melhorar o desempenho da empresa.

Publicado em Blog
Terça, 18 Agosto 2020 10:32

O Mercado de Crédito no Brasil

Antes de iniciarmos a explicação sobre os instrumentos de crédito, vamos explicar um pouco sobre mercado de crédito.

É no mercado de crédito que acontece a intermediação financeira. De um lado, temos os poupadores, que são aqueles que têm gastos inferiores ao ganhos e do outro lado, temos os que precisam de dinheiro extra, que podem ser pessoas ou empresas.

As instituições financeiras fazem a intermediação entre poupadores e aqueles que são deficitários (os que querem fazer um empréstimo). Esses empréstimos podem ter a finalidade de cobrir gastos do dia a dia ou investimentos de longo prazo.

As instituições financeiras cobram uma taxa de juros superior a taxa que elas remuneram os investidores, a diferença entre essas taxas é chamada de spread bancário.

Spread Bancário é a diferença entre o custo de captação ou quanto os bancos vão remunerar os investidores e a taxa de juros que esses bancos vão cobrar dos empréstimos.

Não é a intenção deste artigo detalhar o mercado de crédito, apenas faremos mais uma explicação complementar. O spread bancário, que é essa diferença entre custo de captação e o que a instituição financeira cobra dos seus clientes considera o fator risco, sobretudo de inadimplência, impostos, despesas e lucro da instituição financeira.

Acompanhem o nosso Facebook e se inscrevam no nosso workshop que será no dia 26 de agosto de 2020.

Publicado em Blog
Marcado sob
Segunda, 17 Agosto 2020 12:16

Workshop: Finanças para Empreendedores

Para fazer a inscrição no workshop finanças para empreendedores, clique no link abaixo.

Inscrição

Publicado em Blog
Marcado sob
Terça, 11 Agosto 2020 12:29

O Valor do Dinheiro no Tempo

 

Se o banco lhe diz que o seu dinheiro vai render 10% e você deixa esse dinheiro aplicado durante 2 anos, quanto terá de dinheiro no futuro? (vamos supor que seja um investimento de renda fixa pré-fixado, explicamos esse termo num post anterior, caso queiram consultar).

R$ 100,00 hoje é o valor presente

Primeiro Ano: o rendimento será de R$ 10,00 (10% de R$ 100,00)

Valor Futuro: R$ 110,00

Segundo Ano: a aplicação inicial agora não é mais de R$ 100,00, mas sim de R$ 110,00, pois o dinheiro foi capitalizado, desta forma, a nova aplicação será

R$ 110,00 de aplicação inicial no ano 2

Juros: R$ 11,00 (10% sobre R$ 110,00)

Valor Futuro: R$ 121,00

Esta aplicação, mantida durante dois anos, terá valor  futuro de R$ 121,00 e rendimento total de R$ 21,00

Hoje apresentamos um outro conceito muito importante de finanças.

Publicado em Blog
Marcado sob
Página 1 de 2